Prevemos um mundo onde praticamente todos os dispositivos são muito mais inteligentes, simplificando e enriquecendo nosso dia a dia. Hoje, a inteligência artificial (IA) está oferecendo experiências aprimoradas e novos recursos para nossa sociedade de mais maneiras do que nunca. A IA não apenas oferece aos nossos dispositivos a capacidade de perceber, raciocinar e agir intuitivamente, mas também muda a forma como abordamos e resolvemos desafios técnicos. 

Ao mesmo tempo, a transição global para o 5G está em pleno andamento: existem mais de 175 operadoras móveis que lançaram serviços 5G comerciais globalmente e muitas outras estão investindo ativamente em novas implantações de 5G. A tecnologia, que mal foi lançada, já está sendo conduzida para sua próxima fase: o 5G Advanced, que começa com o 3GPP Release 18, e é um conjunto de padrões futuros que devem elevar os recursos 5G a novos níveis, bem como expandir o 5G em novos dispositivos, implantações, e indústrias.

Mas como a Inteligência Artificial e o 5G se relacionam? No artigo de hoje, vamos discutir como o 5G está impulsionando a Inteligência Artificial e irá proporcionar muitos mais avanços neste campo! Acompanhe:

5G+IA = Borda inteligente conectada

A IA, mais especificamente o aprendizado de máquina, está resolvendo os principais desafios das conexões sem fio e será uma ferramenta essencial que pode acelerar os avanços do 5G.

O 5G e IA são dois ingredientes essenciais que alimentam inovações futuras e são inerentemente sinérgicos – os avanços da IA ​​podem ajudar a melhorar o desempenho e a eficiência do sistema 5G, enquanto a proliferação de dispositivos conectados 5G pode impulsionar a inteligência distribuída com aprimoramentos contínuos no aprendizado e inferência de IA. 

Com o papel da inteligência no dispositivo se tornando cada vez mais importante, a transformação da borda inteligente conectada começou e é a chave para realizar todo o potencial do nosso futuro 5G.

Para dimensionar a inteligência com eficiência, o processamento de Inteligência Artificial precisa ocorrer mais próximo dos usuários finais, em dispositivos como um smartphone, um carro, um laptop ou óculos VR. Ao processar dados na borda, podemos obter melhor eficiência do sistema, privacidade aprimorada, desempenho aprimorado e novos níveis de personalização. 

Prevemos que a nuvem de ponta, conectada por uma conexão 5G de alta largura de banda e baixa latência, desempenhe um papel cada vez mais importante e complementar à IA no dispositivo, aumentando ainda mais a capacidade de processamento do sistema e fornecendo novos recursos.

 

Resolvendo desafios das conexões sem fio

À medida que ultrapassamos os limites tecnológicos das comunicações sem fio, nos deparamos com problemas cada vez mais desafiadores que precisam ser resolvidos antes que possamos alcançar novos níveis de desempenho e eficiência. Por exemplo, existem muitos problemas difíceis de modelar que não podem ser resolvidos com eficiência por um projeto tradicional orientado a modelos, bem como várias otimizações de sistema (por exemplo, parâmetros de modem) necessárias para obter o melhor desempenho possível do sistema.

Um design orientado a dados alimentado por aprendizado de máquina pode resolver esses problemas. Além de aplicar IA no núcleo e RAN (rede de acesso por rádio) para permitir a operação de rede inteligente (por exemplo, QoS aprimorado, melhor eficiência, implantação simplificada e segurança aprimorada), a IA no dispositivo também pode trazer benefícios ao sistema 5G geral.

A capacidade de habilitação subjacente é o reconhecimento de rádio, que fornece conhecimento útil por meio de sensoriamento ambiental e contextual que pode reduzir as despesas gerais e a latência. Por meio do reconhecimento de rádio, o sistema 5G pode suportar:

  • Experiências de dispositivo aprimoradas, como formação de feixe mais inteligente e gerenciamento de energia;
  • Melhor desempenho do sistema, como interferência reduzida e melhor utilização do espectro;
  • Melhor segurança de rádio, como melhor detecção e proteção contra ataques maliciosos.

Padronização do aprendizado de máquina para 5G

Hoje, estamos vendo o aprendizado de máquina sem fio sendo estudado em vários padrões e organizações do setor, incluindo 3GPP, ITU, O-RAN, GSMA e NGMN. No 3GPP, onde as especificações 5G são desenvolvidas, uma nova estrutura (por exemplo, uma nova função de análise de dados de rede) foi introduzida como parte da versão 16 para facilitar o aprendizado de máquina sem fio na rede principal. 

A versão 17 inclui uma coleção de novos recursos que aumentam ainda mais a capacidade de aprendizado de máquina do sistema 5G em RAN. Para o próximo 5G Advanced a partir da versão 18, esperamos que os recursos de aprendizado de máquina sejam um importante vetor de inovação que possa se expandir para casos de uso novos e aprimorados, como protocolos de camada física.

Uma transição para um design de sistema orientado a dados significa que os aprimoramentos não serão mais possíveis apenas com uma nova versão padrão, que pode ser um longo intervalo de 1,5 ano entre as versões na cadência de trabalho 3GPP atual. Com um design de interface aérea nativo de IA esperado no futuro, o sistema poderá oferecer suporte a melhorias contínuas por meio de autoaprendizagem, onde ambos os lados da interface aérea — a rede e o dispositivo — podem se adaptar dinamicamente ao ambiente e otimizar as operações com base sobre o que vivenciam. 

Essa é uma mudança fundamental na maneira como os sistemas sem fio podem melhorar, e espera-se que essa metodologia de design nativa de IA se torne parte do futuro sistema 6G.

Enquanto este futuro não chega, você pode saber mais sobre como 5G e IA são dois ingredientes sinérgicos e essenciais que estão alimentando inovações futuras, lendo o nosso post com as 6 aplicações e benefícios da Inteligência Artificial!!